NA EUROPA PRENDE-SE POR DELITO DE OPINIÃO (outra vez)

0
719

O académico francês François Burgat foi detido durante 8 horas e interrogado pela polícia por alegada “apologia do terrorismo”. Isto aconteceu em França, país onde já se refugiaram perseguidos políticos de todo o mundo.

Acontece que uma autodenominada Organização Judaica Europeia apresentou queixa contra Burgat, por causa do que ele publica nas redes sociais, nomeadamente no X.

perfil de François Burgat no X

Também acontece que Burgat é investigador universitário, especialista no mundo árabe. O facto de ter 76 anos de idade, também não impediu que tivesse sido colocado numa masmorra policial.

Nos meios académicos franceses, a detenção deste politólogo foi considerada “absurda”, “sem sentido” e, na verdade, ninguém reconhece qualquer apologia do terrorismo nas publicações de François Burgat.

obras publicadas de François Burgat

Como muitas outras pessoas em todo o mundo, Burgat tem opinião sobre o que está a acontecer na Faixa de Gaza e na Cisjordânia, não só agora como nos últimos 70 anos.

Burgat também criticou a posição da França em relação ao Hamas, classificando-a de capitulação à política dos EUA e de Israel.

Ao deter François Burgat para interrogatório, a justiça francesa também revela total subserviência perante os designios políticos de Israel. Está a acontecer o mesmo, um pouco por todo o lado nos países do chamado “ocidente”.

Num Estado de direito, o sistema de justiça deve distanciar-se dos interesses políticos.

Estamos a assistir a ações de intimidação que procuram fazer passar a solidariedade para com os palestinianos como anti$$emitismo ou apologia do terrorismo, demonizando sistematicamente a esquerda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui