Um sinal

0
305
fotografia de Sónia Andrade

Desde aquele dia que procuro  um sinal de ti. Só há pouco, por segundos (não sei como se mede o tempo nos sonhos) me deste um. Um frame apenas. Um sinal de qualquer das maneiras.

Fazes anos hoje, não sei em que dimensão estás, sei que fazes anos hoje. Enganei-me tantas vezes na tua idade…

Uma vez dei-te dois balões, daqueles com números, com menos dez anos, comprei um cinco mas afinal era um seis. Disseste que era uma brincadeira, estavas habituado a que, em cada três prendas que te oferecia, uma era de pura brincadeira. Muito séria disse que não, mais sério respondeste que a tua idade era outra, mais dez anos! Arranjei a desculpa ideal, “estás a ver como te vejo muito mais novo?”

Era obrigatório passarmos, nem que fosse por umas horas, os nossos aniversários juntos. Algumas vezes, por agenda familiar, não o fazíamos no próprio dia, antes no dia anterior ou posterior. Até porque um aniversário é quando um homem ou mulher quiser, o tempo é apenas uma necessidade da Humanidade se organizar. Também não falhávamos o Natal, na mesma lógica do tempo. Tu eras o meu Natal. 

No ano passado dei-te um porta-chaves de prata, com as tuas iniciais gravadas. Foi a prenda mais rebuscada, mais pensada, afinal tinhas tantas coisas. Claro que este não servia para a quantidade de chaves que tinhas e não tentaste sequer encontrar uma solução. Ainda sugeri que o usasses para as chaves da garagem mas tu, com toda a descontração, colocaste-o numa chávena. Percebi que nunca mais irias pegar nele e provavelmente irias perdê-lo dentro de casa.

Pedi-to uns tempos depois, queria gravar no outro lado o meu nome de código que definiu a nossa amizade. Andaste à procura, procuraste e procuraste, e, vá lá, encontraste-o.

Ficou aqui por casa um tempo, não é assim tão barato gravar tantas letras em prata. O fecho estragou-se, entretanto, e só neste Natal é que o mandei arranjar. Agora andas sempre comigo. Para sempre.

Fazes anos hoje,  sei que te vou encontrar.

“Procuro à noite um sinal de ti,

Por quem não esqueci.

Em nome de um sonho,

Em nome de ti.

Procuro à noite,

Um sinal de ti.

Espero à noite,

Por quem não esqueci,

Eu nunca esqueci”.

(Sétima Legião)

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here