ZELENSKY À CONVERSA NUM RESORT DE LUXO

Chamam-lhe conferência para a paz, mas é um conclave de guerra. Reúne a maioria dos inimigos da Rússia, os que vendem armamento à Ucrânia para que vá sangrando a Rússia.

0
836

Quando Zelensky chegou ao resort de luxo onde decorre a reunião, em Buergenstock, na Suiça, foi recebido apenas por pessoal menor, ao nível de embaixadores, adidos militares e funcionários do seu próprio governo.

A reunião tem vindo a parecer-se cada vez mais com um balão a perder gás. Alguns dos mais importantes líderes europeus enfrentam crises políticas agudas nos seus próprios países e estão a prazo face a eleições que se realizarão nos próximos tempos e devem estar a ser aconselhados a ponderar melhor os compromissos. Casos de Macron, da França e de Sunak em Inglaterra. Incertezas também na liderança de Ursula na Comissão Europeia.

O alemão Scholz considerou o encontro “uma planta pequena que precisa de ser regada”, numa entrevista à Welt TV. O Presidente dos EUA enviou a vice Kamala para o representar.  O líder da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, enviou o ministro dos Negócios Estrangeiros e a Índia enviou uma delegação de nível inferior. A China não vai comparecer.

A intenção de Zelensky seria mostrar que a Rússia está cada vez mais isolada, mas acaba por mostrar quase o contrário. A maioria dos países africanos não demonstra solidariedade com a causa ucraniana, o Brasil diz que a reunião sem a Rússia é uma perda de tempo, na ONU foi dito pelo diretor do International Crisis Group, Richard Gowan, que “a cimeira corre o risco de mostrar os limites da diplomacia ucraniana”.

Policias suiços num posto de controle em Buergenstock Resort, onde se realizaa Cimeira sobre a Paz na Ucrânia, em Stansstad, perto de Lucerna

Ao aceitar realizar esta reunião, a pedido de Zelensky, a Suiça quebrou uma tradição de neutralidade, porque ao rejeitar a participação da Rússia, o foco do encontro foi desviado de uma paz negociada para uma aposta na solução militar para o conflito. Toda a gente percebe que isso é um erro.

FALAR DE PAZ E FAZER A GUERRA

Ao fim de dois anos de guerra, agora a Ucrânia já tem autorização dos aliados para usar mísseis e longo alcance contra alvos em território russo. E está a fazê-lo, massacrando a cidade russa mais próxima da fronteira, Belgorod.

A ocidente, continuam os relatos das atrocidades cometidas pelos russos, “malvados” e “malucos” nas palavras de Zelensky, mas calam-se as vítimas civis e as infraestruturas destruídas nos ataques ucranianos. É o jornalismo que temos, engajado na política.

Esta noite (15 de junho) a artilharia ucraniana atingiu Shebekino, nos arredores de Belgorod, destruiu um prédio de apartamentos, matou pelo menos 4 pessoas, cujos corpos foram recuperados dos escombros.

Os bombardeamentos indiscriminados e contra infraestruturas civis por parte das forças ucranianas existem, mas não são noticiados nesta parte do mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui