Covid-19: 159 mortes e problemas com a vacina Pfizer/BioNTech

0
3609

Portugal registou hoje novos máximos de mortes em 24 horas associadas à COVID-19, bem como de internamentos e de pessoas em unidades de cuidados intensivos.

Desde ontem contabilizaram-se mais 159 óbitos (novo máximo) e 10.663 infetados. A região de Lisboa e Vale do Tejo, com 4.280 novos infetados, é a área do país com mais novas notificações, com 40,1% do total de diagnósticos nas últimas 24 horas.

Em todo o território nacional, há 4.560 doentes internados (novo recorde), mais 192 que ontem, e 622 em unidades de cuidados intensivos (UCI), mais 11 do que na quinta-feira (novo máximo).

Desde o início da pandemia, a doença já matou 8.543 pessoas em Portugal. Os números foram divulgados no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Problemas com a vacina Pfizer/BioNTech

Entretanto, continua a vacinação da população europeia, mas surgiram já sinais de problemas na produção da primeira vacina que começou a ser distribuída um pouco por todo o Mundo, a vacina da Pfizer/BioNTech.

Os ministros da Saúde de seis Estados-membros da União Europeia afirmaram  estar “seriamente preocupados” com o atraso na entrega das vacinas da Pfizer.

Segundo a agência de notícias francesa AFP, a Dinamarca, Estónia, Finlândia, Lituânia, Letónia e Suécia, assinalam atrasos nas entregas das vacinas Pfizer/BioNTech, o que “mina a credibilidade do processo de vacinação” e que a situação é “inaceitável”.

Estes problemas na produção e distribuição desta vacina vão provocar adiamentos na vacinação, o que todos julgávamos que estava fora de questão vir a acontecer.

Nesse âmbito, os referidos estados membros da EU pedem à Comissão Europeia para contactar “urgentemente” a Pfizer e a BioNTech para “pedir uma explicação pública” e “sublinhar a necessidade de se assegurar a estabilidade e a transparência das entregas”.

O laboratório norte-americano Pfizer advertiu hoje para uma quebra “a partir da próxima semana” nas entregas das vacinas anticovid na Europa. A redução temporária afetará todos os países europeus.

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here