FUTEBOL, Circo Romano

NOTÍCIA ATUALIZADA EM 13 DE MAIO

0
694

Tiroteio no bairro do Cerco, no Porto, na sequência do assassinato de um homem na noite de sábado, no Estádio do Dragão.

Uma rixa entre adeptos do mesmo clube é coisa que não se entende. Mas aconteceu durante os festejos da conquista do título nacional pelo FC Porto. Nesses festejos, um homem foi assassinado.

O morto chamava-se Igor Silva. Há quem acredite que o crime pode ter tido motivações raciais. Igor vivia em Ramalde, um antigo bairro operário do Porto. Ramalde é sítio de gente pobre.

Igor Silva, 26 anos, assassinado no Estádio do Dragão

O principal suspeito, detido e identificado pela PSP, chama-se Renato Gonçalves. Foi identificado pela PSP e está detido preventivamente.

Renato Gonçalves, suspeito pela morte de Igor Silva

Outro suspeito é o pai de Renato, Marco Gonçalves, de alcunha “Orelhas”. A família Gonçalves vive no bairro do Cerco, um dos maiores bairros sociais do Porto. Um sítio mal-afamado, onde pululam traficantes de droga e carteiristas. Detido pela PSP e interrogado no Ministério Público, Renato apenas confessou ser autor de uma das 12 facadas que feriram de morte a vítima. E que depois terá fugido do local. O pai “Orelhas” está igualmente indiciado de participação no crime, mas está em parte incerta. Marco “Orelhas” é um conhecido “animador” da claque Super Dragões.

Marco “Orelhas”, suspeito pela morte de Igor Silva

Do tiroteio desta madrugada não houve vítimas, apenas ânimos exaltados. Foi dito que terá sido uma tentativa de alguém para vingar a morte de Igor. Disto tudo também se extrai a certeza de que os estádios de futebol são locais perigosos. E também se confirma que as claques dos clubes de futebol são santuários para criminosos. E a última certeza é que o futebol está a se transformar num circo romano. Nada disto é tolerável.

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here