Z de enigma, os símbolos de guerra na Ucrânia

Normalmente, as organizações desportivas, nacionais ou internacionais, afastam as questões políticas do âmbito dos eventos que organizam. A norma é proibir qualquer referência política nas manifestações desportivas.

0
723

É frequente atletas serem admoestados ou até punidos quando infringem estas regras de separação. O argumento mais escutado é o desporto servir para unir e não para dividir. É assim que casos de racismo têm sido menosprezados, por exemplo. E quando os atletas vítimas de racismo protestam são castigados. No futebol são inúmeros os casos deste género.

Agora, com a guerra na Ucrânia, a exceção virou regra. As manifestações políticas de apoio a um dos lados do conflito são permitidas e até incentivadas, promovidas pelas organizações do desporto. Já vimos isso acontecer nos jogos de futebol em Portugal. Já vimos isso acontecer em todo o lado, independentemente da natureza do evento. Nada mais justo, se nos pusermos do lado do agredido. Quem é contra a guerra, tem o dever de protestar contra quem a faz.

O problema é que há razões que a nossa razão desconhece e, por mais que isso nos espante, há russos que apoiam a causa russa na guerra da Ucrânia. Por nacionalismo ou por qualquer outro tipo de convicção, há muita gente na Rússia que apoia a invasão. E se aceitamos que as manifestações de índole desportiva ou cultural passem a ter um cunho político, devemos tentar perceber as razões dos dois lados da questão. Mas esta é uma questão difícil, que ninguém quer discutir, aparentemente.

Vem isto a propósito da posição assumida pelo atleta russo Ivan Kuliak. O atleta, quando subiu ao pódio para receber a medalha de bronze conquistada nos Campeonatos do Mundo de Ginástica que decorreram em Doha, colou a letra “Z” no equipamento que vestia.

Um “Z” sobre o peito. O mesmo “Z” que é visto pintado nos tanques que assolam a Ucrânia. Um “Z” como aquele que outros russos pintam nas ruas em manifestações de apoio a Putin. Um “Z”. Curiosamente, uma letra que nem existe no alfabeto cirílico russo.

A atitude foi considerada “chocante” pela Federação Internacional de Ginástica. Num comunicado, esta federação diz que vai promover um “processo disciplinar contra Ivan Kuliak”. Quem acompanha as notícias sobre esta guerra, talvez já tenha notado no “Z” pintado nos blindados russos. Mas então reparou que nem todos têm o mesmo “Z”. Alguns têm a letra “V”. Não há certezas sobre o que estes símbolos significam, as teorias são diversas. Uns dizem que é para se reconhecerem no campo de batalha. Outros dizem que identifica a unidade militar a que se pertence. Outros avançam com outras interpretações, nenhuma é certa.

Ninguém admite que possa tratar-se de um plágio do “Z” do Zorro que significava “justiça em nome do povo”, ou algo semelhante.

Os símbolos da extrema-direita da Ucrânia

Por outro lado, há um estranho silêncio sobre as constantes exibições de símbolos e bandeiras associadas ao nazismo na Ucrânia.

Link para a wikipedia sobre o Pravyi Sektor.

Link para a wikipedia sobre o Batalhão Azov.

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here