AmadoraBD, toda a glória para Luís Louro

0
1102

Foi um Festival de Banda Desenhada da Amadora mais “magro” que o habitual, mas em tempo de crise já é bom que tenha acontecido. Hoje foram anunciados os vários vencedores do AmadoraBD. O álbum de banda desenhada “Sentinel”, de Luís Louro, foi distinguido com o troféu de Melhor Obra de Autor Português.

Os Prémios de Banda Desenhada e Ilustração da edição de 2020 do Festival Amadora BD distinguiram ainda Zé Nuno Fraga, com o Prémio Revelação, pelo álbum “A Assembleia das Mulheres”.

O Prémio de Melhor Obra Estrangeira de BD, editada em português, foi para “O Homem que Matou Lucky Luke”, de Matthieu Bonhomme. Ainda na área de Banda Desenhada, o álbum “Tequila Shots”, com argumento de Claudio Yuge e desenho de Juan Burgos, recebeu o Prémio de Melhor Fanzine ou Publicação Independente.

No campo da Ilustração, o Prémio de Melhor Obra de Ilustrador Português, foi para “Desvio”, de Ana Pessoa e Bernardo P.Carvalho.

Como Melhor Obra de Ilustrador Estrangeiro, foi premiada “Mvsevm”, de Javier Sáez Castán e Manuel Marsol. O anúncio dos vencedores foi feito hoje à tarde, no auditório dos Recreios da Amadora.

Este ano, o Festival AmadoraBD, adaptado à pandemia da covid-19, reduziu as categorias dos prémios anuais para metade.

Noutros anos tem sido uma festa para miúdos e graúdos, para todos os que gostam de banda desenhada, de cartoons, de “histórias aos quadradinhos”.

O vídeo que juntamos a este artigo foi realizado na edição de 2019, quando fui ao Amadora BD com o meu filho mais novo, o Pedro Gil, sempre mascarados, afinal de contas…

AmadoraBD 2019

Ir ao Festival Internacional de BD da Amadora é a oportunidade de voltar a ser criança, mesmo se a banda desenhada também é um produto de consumo para adultos. É mais giro ir lá com os olhos de um puto. E as memórias de um adulto.

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here