Betão e pedra lioz nas margens do Tejo

1
1778

A Fundação Champalimaud está a ampliar as suas instalações e a dar mais um passo para que o Tejo fique inacessível aos lisboetas.

Nestes anos, com Medina como presidente da Câmara, o Tejo sem sido amuralhado por vários edifícios sem sentido, metidos em cima da sua margem lisboeta. Foi o Observatório do Cais do Sodré, o museu da EDP, o Hotel Altis Belém e restaurante Sud.

No Sud deleitam-se agora os ricos, onde antes o povo dançava ou tomava um refresco.

Claro, que a margem do Tejo estaria ainda pior se tivesse vingado o terminal de contentores de Alcântara, ou a circular que ligaria a CRIL à Avenida de Ceuta, junto ao Tejo.

Mas mais absurdo é verificar que um hospital foi enfiado em cima do rio. É porquê? Porque foi financiado por um milionário?

Foi uma sorte, o novo hospital da CUF não ter seguido mo mesmo caminho.

O Hospital cresceu num quarteirão da Câmara, que Santana Lopes prometeu ser um bairro típico de Alcântara, com assinatura de um arquitecto famoso. Claro, foi um engano como aconteceu com o Casino no Parque Mayer. O quarteirão acabou por acantonar um mamarracho que descaracteriza a cidade, mesmo junto à estação de comboios de Alcântara, a 100 metros da margem do rio.

Um horror. As traseiras deste hospital parecem uma prisão com uns oito andares de altura. Que raio de concepções tem o arquitecto Manuel Salgado, que autorizou esta aberração.

E em vez de encher a margem do Tejo de bares, clubes de recreio, locais de lazer, de relva para estender tolhas, Medina e o seu braço direito Manuel Salgado emparedaram as margens do rio.

Podiam enterrar a linha de comboio e a Avenida Marginal, que são duas cicatrizes profundas na cidade. Mas não.

As margens do Tejo são um bem inestimável a nível europeu. Muitas capitais gostavam de ter um Tejo, como Madrid, Paris, Roma ou Berlim.

Estamos perante uma vaga de construção, que corre o risco de acabar da pior forma, com os lisboetas a pagarem bilhete para se sentarem nas margens do seu rio.

1 comment

  1. Sim, a Fundação Champalimaud está a ampliar as suas instalações, para bem de todos nós !
    Serão as instalações dedicadas ao estudo do Cancro do Pâncreas, cujos estudos e investigações estão parados há 40 anos !!!
    Seja em que terreno for, este edifício é muito bem vindo !

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here