Sintra, Ildefonso vítima de bullying da Polícia Municipal

Vídeo crónica de opinião.

0
980

Em Sintra, o que estão a fazer com o cidadão sem-abrigo Manuel Ildefonso é algo que roça o sadismo. Pela força da farda que envergam, agentes da Polícia Municipal, obedecendo a ordens superiores, têm passado o tempo a tirar os pertences deste senhor que vive há 3 anos à porta da Câmara Municipal de Sintra.

Vivendo ali, exposto aos olhares, e ao frio e à chuva, Manuel Ildefonso exerce o direito de reclamação, protesta, luta por uma causa que considera justa: o direito a ter uma casa, uma habitação social atribuída pela Câmara.

As razões são sobejamente conhecidas, quem tiver curiosidade pode fazer aqui neste site uma busca com a palavra Ildefonso.

A Polícia Municipal apreende coisas como, por exemplo, pequenas telefonias, bancos de plástico, alimentos, chapéus de sol, baldes de plástico e, como vimos, até cartazes de protesto que o senhor Ildefonso transporta junto ao peito. Também lhe rebocaram já duas viaturas. Uma história inacreditável, a história das apreensões das viaturas. Um saque constante com que massacram este homem, numa óbvia tentativa de o desmoralizar para que ele abandone o protesto e saia da vista do presidente da câmara.

Quem manda na Polícia Municipal é o Presidente da Câmara. Como Basílio não fala com pessoal menor, deve dar ordens ao comandante da polícia que, por sua vez, transmitirá a vontade de Basílio aos agentes que, assim, se vêm na obrigação de cumprir ordens desumanas e injustas.

Quem manda em Basílio Horta são alguns dos membros do Governo, a saber, o primeiro-ministro e o ministro da administração interna. E por isso creio que o grupo de cidadãos sintrenses que apoia o senhor Ildefonso deveria tentar essa via política hierárquica para tentar parar com esta pouca vergonha. A não ser assim, só um tribunal poderá mandar parar com este bullying constante sobre um homem indefeso.

Para já, o ator Guilherme Leite decidiu juntar-se ao senhor Ildefonso, um dia destes serão dois de cartaz ao peito à porta da Câmara Municipal de Sintra.

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here