Imortal, Eduardo Lourenço 1923-2020

Fotografia de José Alex Gandum, feita no Museu da Electricidade, em Lisboa, em Maio de 2012

0
667

“Somos, enfim, quem sempre quisemos ser. E todavia, não estando já na África, nem na Europa, onde nunca seremos o que sonhámos, emigrámos todos. Colectivamente, para Timor. É lá que brilha, segundo a nova ideologia nacional, veiculada noite e dia pela nossa televisão, o último raio do império que durante séculos nos deu a ilusão de estarmos no centro do mundo. E, se calhar, é verdade.”

 Eduardo Lourenço em ‘Labirinto da Saudade’, Gradiva Publicações, 8ª edição, Janeiro de 2012.

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here