O HOMEM QUE DÁ DE BEBER ÀS ABELHAS

FOMOS FAZER O RETRATO DE UM HOMEM QUE SE DEDICA A FOTOGRAFAR OS PEQUENOS E GRANDES EXEMPLARES DA VIDA ANIMAL. CHAMA-SE FERNANDO FERREIRA, O HOMEM QUE DÁ DE BEBER ÀS ABELHAS.

0
903
fotografia de Fernando Ferreira

Passava os tempos livres a correr pelos campos e ainda era criança quando fotografou o primeiro “bicho”. Foi só o primeiro de muitos. Hoje, homem feito, Fernando Ferreira é um fotógrafo da Natureza. Desenvolve um projeto raro de recolha e identificação da biodiversidade no município de Vila do Conde.

Não é um trabalho, porque é um hobby. Mas devia ser trabalho remunerado. Um homem que é capaz de dar de beber às abelhas, tem de ver reconhecido o trabalho que desenvolve.

vídeo de Fernando Ferreira

É um trabalho muito interessante. As fotografias são muito boas. Quando Fernando Ferreira nos diz que nunca teve formação em fotografia, deixa-nos boquiabertos.

formiga-leão, fotografia de Fernando Ferreira

“Desde miúdo, oito, dez anos, que sempre gostei de fotografia e de natureza, não fosse eu de uma geração em que passávamos todo o tempo livre que tínhamos, no meio da Natureza a brincar. A minha família era muito modesta e, infelizmente, de poucos recursos financeiros. Tive de ir trabalhar aos 12 anos para ajudar em casa”, explica-nos Fernando para dizer que a pobreza nunca lhe permitiu estudar fotografia.

“A fotografia começou como hobby. Mas, desde 2015 é onde ocupo o meu tempo, no projeto Biodiversidade na nossa Terra“.

“De manha bem cedo saio para o campo, às vezes passo lá todo o dia… Quando chego a casa, há o trabalho de seleção das  fotos e respetiva edição. Só pequenos ajustes porque não tenho formação em edição. Depois, todas as espécies que não conheço tento identifica-las com a ajuda de profissionais da área. Após a identificação, o trabalho de pesquisa sobre a espécie, de modo a criar uma pequena ficha técnica.”

morcego, fotografia de Fernando Ferreira

É nas redes sociais que Fernando exibe o trabalho do dia-a-dia. São sempre fotografias lindíssimas. Tem de ser possível viver desta atividade. O município, alguma instituição pública ou privada, devia olhar com olhos de ver para o trabalho desenvolvido por Fernando Ferreira. O projeto Biodiversidade na Nossa Terra tem um valor didático imenso. Deviam-lhe pagar na escala correspondente.

“Infelizmente, a minha esposa também ficou desempregada. Vivemos uma situação difícil. Também temos tido muita dificuldade para conseguir apoios para o projeto,” confessa-nos Fernando Ferreira que, profissionalmente, foi técnico de Informática até ter ficado desempregado.

“Estou a fazer com que estes registos sirvam como ferramenta de educação e sensibilização ambiental. Tenho feito algumas apresentações e palestras em escolas. A ideia é fazê-lo em, todas as escolas do município”, diz Fernando Ferreira. Mas o projeto tem validade para todas as escolas portuguesas. “Preciso é de apoios para poder prosseguir com este trabalho”, remata o entrevistado.

E depois perguntámos-lhe qual foi a fotografia que mais lhe agradou, até hoje? Em que circunstâncias foi feita?

“As fotos que mais me satisfazem, são de resgates de animais bem sucedidos (eu também faço resgate de animais). Uma das que mais gostei foi de uma Cobra-rateira (Malpolon monspessulanus) – Juvenil, que depois de a ter salvo de uma morte certa, ao ir libertá-la numa floresta, sem explicação ela ficou no mesmo local mais de meia hora, enquanto eu lhe tirava fotos em várias poses…”

E à pergunta sobre qual foi a fotografia com que obteve o prémio que mais lhe agradou receber, Fernando respondeu:

“A fotografia em causa não recebeu nenhum prémio, mas foi escolhida entre muitas de muitos países, para ser capa de uma revista internacional, Wild Planet Photo Magazine. A Wild Planet Photo Magazine é uma revista inglesa dedicada à Vida Selvagem e a fotógrafos da Natureza de todo o Mundo. A revista é publicada todos os meses, e os sites contam com mais de 256.000 visitantes de 190 países”, explica-nos.

A fotografia de que falo é de um inseto que tem como nome comum Formiga-leão e foi registada na Reserva Ornitológica de Mindelo, a mais antiga Reserva de Portugal e uma das mais antigas da Europa”, diz Fernando Ferreira.

As fotografias de Fernando são muito boas. Já o futuro não se vislumbra tão agradável como deveria. Ainda assim, Fernando diz que “independentemente do que acontecer nunca irei deixar de registar a nossa biodiversidade… com o projeto Biodiversidade na nossa Terra, tudo vai depender de apoios financeiros.”

Redes sociais de Fernando Ferreira:

https://www.facebook.com/FernandoFerreiraPhotography

https://www.instagram.com/fernando_ferreira_photography

http://www.youtube.com/c/FernandoFerreiraPhotography

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here