Despedida por denunciar racismo

0
208

A empresa ICTS despediu uma funcionária que denunciou internamente ter sido vítima de racismo numa ação de formação.

Daniela Gomes nasceu em Lisboa e estudou na faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. O facto de ter formação académica universitária não a livra de situações de discriminação e desigualdade.

Na ICTS, Daniela estava ainda dentro do chamado período experimental, tempo durante o qual a empresa pode prescindir do trabalhador sem invocar qualquer justa causa. Deve ter sido o que se passou com Daniela.

Os responsáveis pela empresa preferiram livrar-se de alguém potencialmente reivindicativo, menosprezando as razões do protesto de Daniela. Acontece que, ao agir deste modo, a ICTS acaba por dar cobertura a um ato racista dentro da própria empresa.

Um advogado mais habilidoso até poderá dar a volta a esta história e deixar tudo na mesma. Mas a empresa ICTS não se livra da má imagem e do rótulo de racista que lhe fica colado.

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here