O revoltoso que era de Alcabideche!

1
1286

Desafiou-me Carlos Narciso para com ele colaborar neste seu espaço de Duas Linhas, a de Cascais e a de Sintra.

Aceitei de bom grado, na medida em que me será possível partilhar, desta sorte, informações e despretensiosos comentários acerca da História, das Artes e do Património Cultural, referentes sobretudo ao território cascalense.

Há sempre surpresas, outros olhares, novidades ou antiguidades que porventura haviam escapado e nos ajudam a fomentar comunidade, a revitalizar memórias e identidade.

Desta feita, a inesperada surpresa veio do Brasil. O professor Luciano Figueiredo, do Instituto de História da Universidade Federal Fluminense (Niterói), escreveu à Junta de Freguesia de Alcabideche a tentar saber da genealogia e eventuais laços familiares conhecidos de Filipe dos Santos Freire (1678-1720).

Tivera acesso ao seu registo de nascimento, a que também acedemos depois, que reza assim (actualizo a grafia):

«Aos quinze dias do mês de Janeiro de 1678 baptizei e pus os Santos Óleos a Filipe, filho de João Vicente e de Maria Ferreira de Alapraia. Foram padrinhos o Pe. Sebastião Alves [e Isabel (?) Costa] de Alapraia».

Assina o Padre Cura Duarte Pinheiro.

E que interesse haveria neste alcabidechense?

É que estão a ser programadas para o corrente ano as comemorações dos 300 anos da chamada «Sedição de Vila Rica» (Vila Rica era, então, o nome da actual Ouro Preto, em Minas Gerais), de que Filipe dos Santos Freire foi um dos cabecilhas.

Havia sido, naturalmente, mal vista pelos potentados locais a lei segundo a qual aí vinham a ser oficialmente criadas casas de fundição do ouro em pó. Minerador, Filipe dos Santos Freire assumiu-se como o principal cabeça dos amotinados e acabou por ser condenado à pena capital. Enforcaram-no, arrastaram-lhe o corpo pelas ruas da vila e esquartejaram-no, após julgamento sumário perpetrado por uma junta formada pelo governador D. Pedro Miguel de Almeida Portugal, Conde de Assumar, e pelo ouvidor local.

Ora aqui está um herói a cuja naturalidade ainda se não dera a atenção devida!

                                                         

1 comment

  1. Gostei de conhecer, apesar do seu fim violento, esta personagem portuguesa, nas palavras de José d´Encarnação. Nada sabia do minerador Filipe dos Santos Freire, natural de Alcabideche. As crónicas do autor, para além do interesse histórico, como neste caso, costumam ser preciosos retalhos de prosa que aguardo com o maior interesse.

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here