DEPUTADOS CHAMAM DIRETORES DEMISSIONÁRIOS DA GLOBAL MEDIA

0
1704

Quatro dos 11 diretores demissionários na Global Media estiveram na Assembleia da República, chamados pela Comissão de Cultura para responderem a questões relacionadas com o que se passa naquele grupo de comunicação social: os problemas financeiros, as ameaças de despedimento coletivo, o risco de falência.

Pelo que ali se ouviu, há histórias que estão a ser mal contadas pelos novos administradores. Por exemplo, foi dito que o Jornal de Notícias continua a dar milhões de lucro, que o jornal O Jogo é autosustentável e que o site Dinheiro Vivo também não dá prejuizo.

O grupo mudou de mãos recentemente, passou a ser controlado pelo World Opportunity Fund, um fundo de investimento registado nas Bahamas e que não se sabe bem a quem pertence.

Não se percebe como é possível que novos acionistas tenham mudado de opinião em duas semanas, passando do anúncio de investimentos para os anúncios de despedimentos.

O que está a acontecer é típico da atuação de grupos capitalistas selvagens, aqueles que não respeitam direitos de trabalhadores nem reconhecem a validade do serviço público que as empresas de comunicação social têm obrigação de prestar.

vídeo

Para os deputados, há dois mistérios que deveriam ser respondidos. O primeiro é a origem do World Opportunity Fund e o que os motivou para virem aqui comprar um grupo de media, e o segundo mistério é a escolha de José Paulo Fafe para a administração, dúvidas que estes quatro diretores não souberam esclarecer.

A empresa deve 7 milhões e meio de euros à segurança social. Permitir que este tipo de dívidas se acumulem é uma questão da responsabilidade política, que prejudica a sociedade em geral, principalmente aqueles que mais precisam de usufruir do SNS ou dos apoios da segurança social.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui