CONVÍVIO DE GENTE BOA

Porventura algum dos leitores se recordará do que esteve na base da criação da Associação Anghilau; boa parte dos seus membros reuniram-se agora em confraternização.

0
1052

Foi, de facto, um dia especial, também porque coincidiu com o fim-de-semana em que boa parte da zona ocidental do concelho de Cascais de novo se confinou, não por reincidência de novo vírus da covid, mas porque, a nível mundial, Cascais era palco da competição Iron Man, o «homem de ferro» e a maior parte das artérias ficaram vedadas ao trânsito.

No palácio de Vaux Le Vicomte, não longe de Paris, ainda se mostra e constitui motivo de espanto a cela onde ficou prisioneiro até à morte um personagem-mistério, o «Homem da Máscara de Ferro». Neste caso de Cascais, não é de um prisioneiro comum que se trata, mas sim de determinar, devido aos seus dotes, um outro ‘prisioneiro’, o da força muscular, o da notoriedade universal. Para isso, cerca de 2000 candidatos – claro, uns mais candidatos do que outros – se puseram à estrada, em bicicleta e a correr (90 km, parece!) e enfrentaram largos minutos a frieza do oceano. Valentes!

Um desses candidatos está também na origem da Associação Anghilau e, já o almoço estava quase no final, quando, de figura esguia e musculada, entrou na sala de jantar e foi aplaudido: em 1900 candidatos ficara na casa dos 1600, o que não era nada mau, atendendo aos seus 64 anos feitos.

Nasceu a Anghilau – como já aqui tivemos ocasião de contar – com o objectivo de dar seguimento à obra benemérita em prol das gentes de Suzana (Guiné-Bissau) que o cascalense Capitão Rei Vilar iniciara, aquando da sua comissão de serviço.

Lápide em memória do capitão Rey Villar, na tabanka de Suzana, Guiné-Bissau

A família, sobretudo o seu irmão Manuel Rei Vilar, houve por bem reunir boas-vontades a fim de, paulatinamente, se construir uma escola e outras infraestruturas comunitárias de que a esquecida povoação estava carente. Assim nasceu a Anghilau («anghilau» significa criança na língua autóctone).

O almoço de confraternização de domingo, dia 22, visou consolidar os laços de amizade e proporcionar, através da passagem de diapositivos, uma ideia do que, até agora, se logrou concretizar e de quais as perspectivas das actividades a desenvolver.

membros da Associação Anghilau na tabanka de Suzana, Guiné-Bissau

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui