A PONTE DA DISCÓRDIA

QUE NOME DAR À PONTE?

1
934

Já há nove petições, a propósito do nome para a ponte pedonal sobre o rio Trancão, na fronteira dos municípios de Loures e Lisboa.

Algumas das petições são ofensivas, outras surpreendentes pela originalidade da proposta. De qualquer modo, a petição com maior número de subscritores é a primeira que surgiu contra o anúncio de que a ponte se iria chamar ‘Dom Manuel Clemente’, o cardeal patriarca de Lisboa.

Neste momento, essa petição tem 17.573 assinaturas de apoio, já ultrapassou o número que obriga a Assembleia da República a receber, discutir e votar o documento.

www.peticaopublica.com em 17 de agosto, às 11 horas.

As razões do protesto estão nos pressupostos do documento, onde se pode ler que “D. Manuel Clemente é um dos nomes que está sob suspeita de ter encoberto pelo menos um crime de abuso sexual de menores por parte de um sacerdote”, suspeita que, segundo os subscritores,  “deverá ser suficiente para, pelo menos, se ter algum pejo em se homenagear uma figura que não raras vezes se viu envolto em polémicas de vária ordem.”
Além disso, uma vez que se trata de um equipamento público, pago pelo erário público, “que se homenageie quem tenha factualmente marcado a diferença ou sido autor de feitos que mereçam destaque no nosso município”, concluem os peticionários.

Nesta corrida, em 2ºlugar aparece uma petição que saúda e agradece aos autarcas de Lisboa e Loures a ideia de batizar a ponte com o nome do dirigente religioso. Neste momento, esta petição tem 8.083 assinaturas.


“Fica assim para memória vindoura o nome de um grande bispo do Patriarcado de Lisboa, uma instituição histórica do território que compreende as duas cidades ligadas por essa ponte. Dom Manuel Clemente contribui de forma decisiva para a revitalização da sociedade civil católica e teve também uma enorme influência na sociedade portuguesa durante o seu pontificado.”

Estes peticionários lembram que o nome já foi anunciado, ignoram a renúncia do cardeal a tal homenagem, mas fazem notar que até a Câmara Municipal de Loures concordou com o nome avançado pelo edil de Lisboa, Carlos Moedas.

É evidente que os argumentos a favor e contra se dirimem entre estas duas petições, mas outras petições merecem alguma atenção, nem que seja para nos divertirmos com as propostas.

OUTRAS PETIÇÕES

Há várias petições de apoio ao nome ‘Manuel Clemente’, com argumentos laudatórios semelhantes, mas com pouco acolhimento popular. Talvez as atenções dos fiéis estejam mais centradas na petição que surgiu primeiro.

E depois há as petições que sugerem nomes que não provoquem discussão, tipo ‘Ponte da Juventude’, um nome que alude à JMJ, evento que levou à construção da ponte.

E há uma petição que ‘dinamita’ a ideia de batizar a ponte com alguma referência católica…

E há, ainda, uma petição curiosa, que propõe que a ponte se chame ‘Karl Marx’. “Nestes cento e quarenta anos desde o falecimento de Karl Marx, foi possível, em seu nome, atingir enormes progressos sociais, económicos e políticos para os trabalhadores de todo o mundo e em particular, para os portugueses. A decisão de atribuir o seu nome a esta ponte é um justo reconhecimento do seu papel nas sociedades de todo o mundo”, diz o primeiro suibscritor desta petição, ainda solitário nesta pretensão.

1 COMENTÁRIO

  1. O neoliberal Carlos Moedas, e não só!
    Os pedófilos que já foram acusados, não lhes diz nada?!
    E quando alguém da igreja, deles…, dizem disparates, então o que se faz;- promovem-nos! Acontece com as politicas que esta gente defende ao longo dos anos! São promovidos!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui