NOVO CARTÃO DE CIDADÃO

Novo Cartão de Cidadão vai ter novas utilizações. Será uma espécie de cartão multiusos. Mas traz novos desafios de segurança, também.

0
1940

O novo Cartão do Cidadão terá mais funções do que apenas a simples identificação do portador. Uma das mais inesperadas, certamente, é poder servir como título de transporte. Sim, os novos cartões que vão entrar em vigor até ao final deste ano, irão substituir os tradicionais “passes sociais”.

Outra novidade é passarem a ser “contactless”, como já são os cartões bancários e algumas chaves de automóvel. Isto é, bastará aproximar o Cartão de Cidadão de um leitor de cartões para o cidadão ser identificado. Certamente que será assim nas esquadras de polícia, nos hospitais e, no caso de servir de título de transporte, nos transportes públicos. No projeto deste novo Cartão de Cidadão está, ainda, a possibilidade de poder servir para abertura de contas bancárias em canais digitais.

O problema disto pode ser a má utilização do nosso Cartão de Cidadão, em caso de extravio ou roubo, por exemplo. E ainda a proteção de dados. Que informações passarão a constar no Cartão de Cidadão para que o documento seja utilizado nas esquadras de polícia ou nos hospitais, por exemplo? Um cartão que serve para efetuar pagamentos online dá acesso à conta bancária. Que medidas de segurança estão preparadas para o novo cartão?

O Governo apresentou agora estas novidades, mas não deu explicações sobre isto. Ou está tudo pensado e as medidas preventivas serão aplicadas ou podemos vir a ter problemas.

A tecnologia “contactless”

Na apresentação do novo Cartão de Cidadão, o Governo garantiu “segurança contínua, a atualização tecnológica”, mas não explicou como.

Com os cartões bancárias há problemas. São frequentes os casos relatados na imprensa sobre roubo de dados dos cartões “contactless”, com dinheiro a desaparecer das contas bancárias dos incautos utilizadores dos cartões.

A tecnologia “contactless” recorre a um sistema de comunicação chamado NFC (Near Field Communication). É usada principalmente em cartões de pagamento, mas há cada vez mais dispositivos que têm esta tecnologia, como smartphones ou smartwatches. A troca de informação é feita através de radiofrequência, sem a necessidade de fios.

Como em qualquer comunicação rádio, a possibilidade de interceção não é de desprezar. Como medida de segurança, os bancos impedem que o cartão possa ser utilizado mais do que cinco vezes por dia e num montante global superior a 150 euros. Não são conhecidas as medidas que o Governo vai implementar para garantir a segurança do Cartão de Cidadão “contacless”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui