Nova “armadilha” nas estradas

Para muitos condutores será mais uma “armadilha”, mais uma ferramenta da caça à multa. Terão de ter paciência e aliviar o peso do pé no acelerador do automóvel.

22
39710

Estão em fase de instalação os chamados radares de velocidade média. Aparelhos capazes de calcular a velocidade de um automóvel num determinado percurso. Deixa de valer o velho truque de abrandar quando nos aproximamos do radar, para logo a seguir voltar a acelerar.

Como funcionam os novos radares

Este novo esquema de controlo só funciona em percursos sem cruzamentos ou entroncamentos. Num determinado ponto o radar assinala a passagem de um veículo, regista a matrícula e a hora de passagem. Mais à frente, um segundo aparelho regista a passagem do mesmo veículo e faz as contas ao tempo que demorou entre o ponto 1 e o ponto 2. Se o percurso for feito em menos tempo que o estipulado, considera-se que ultrapassou o limite de velocidade. Resultado: multa.

Sinalética mentirosa

Os locais onde estes aparelhos estão a ser instalados vão ser assinalados com uma sinalética própria, o novo sinal de trânsito H42. Acontece que, de acordo com a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), serão 10 os radares de velocidade média nas estradas portuguesas, mas haverá mais do que dez estacionamentos possíveis para esses radares. Ou seja, o facto do sinal estar colocado não significa que o radar lá esteja. Os aparelhos serão mudados de local periodicamente. Umas vezes o sinal dirá a verdade, outras vezes será mentira.

Autoestradas e IC

Pelo que atrás ficou explicado, este investimento vai ser rentabilizado nas autoestradas e IC, vias onde a malta acelera como se fossem tirar alguém da forca. Ou como se fossem ministros de regresso a casa.

Já existem locais previstos para a instalação dos radares de velocidade média nas estradas portuguesas. Mas a lista divulgada não é exaustiva nem definitiva. Contudo, em princípio serão estes os distritos e estradas que vão receber os 10 novos radares de controlo de velocidade média:

  • Aveiro: A41;
  • Beja: En206 e IC1;
  • Castelo Branco: IC8;
  • Coimbra: A1 e EN109;
  • Évora: A6 e IP2;
  • Faro: EN398;
  • Lisboa: A9, EN10, EN6-7 e IC19;
  • Porto: A3.
  • Santarém: A1;
  • Setúbal: EN10, EN378, EN4, EN5 e IC1;

22 comments

  1. Parece-me interessante, temos todos que começar a largar aquele sangue quente de acelera e recordarmos que:
    Não estamos sozinhos na estrada;
    Temos alguém em casa que gosta de nós;
    Temos alguém que espera por nós;
    Há quem goste de nós;
    Há quem dependa de nós;
    O Código da Estrada é para ser cumprido!

    • Vá dormir! Todos sabemos que Portugal é um país meio atrasado mas infelizmente muitos Portugueses contribuem para tal pq têm algum problema mental e aceitam tudo. Todos os limites de velocidade deviam ser actualizados de acordo com a via em que estão. Faz sentido ir numa estrada recta a 50 ou 70kms/h em kms de estrada e sem qualquer casa ao redor? Não acordem não.

  2. Carlos Gertrudes,
    Concordo que é necessário mantermos a calma respeitar o código de estrada e fazer um esforço para pensarmos não só em nós mas nos outros também.
    Muitas vezes as pessoas não respeitam os sinais de transito não param nos stops, entram em cruzamentos sem olhar ou estão atentos ao telemóvel.
    Quando o buzinamos para as chamar à atenção buzinam de volta e não reconhecem.
    Espero que essa mentalidade mude, porque é bom todos evoluirmos em termos de respeito e educação e não o inverso. Só estamos cá temporariamente, não vale a pena tantas lutas nem guerras.
    Um Feliz Natal a todos.

  3. Infelizmente é só para alguns, para outros temos o artigo 171 alínea não sei quantos
    Que nos livra dessas coisas porque prova q vamos sempre em trabalho e com muita urgência para andarmos no passeio.

  4. Há mais de 30 anos que o limite de velocidade nas AEs se mantem quando as mesmas estão em muito melhores condições atualmente e qualquer viatura já vem equipada com níveis de segurança capaz de circular a velocidades acimas dos limites impostos!

  5. Em nome da segurança rodoviária coloca-se cada vez mais radares em todo o lugar não esquecendo os móveis também para fazer muito dinheiro.
    O carro neste país paga tudo!
    Estacionamento,velocidade,portagens, inspeções,imposto de circulação imposto automóvel indevido, combustíveis caros etc todo a favor do estado de gulosos…

  6. Se os radares contribuíssem de facto para reduzir os acidentes rodoviários, eu compreenderia, mas infelizmente só servem para caçar multas. Há outros meios mais eficazes na prevenção rodoviária, como por exemplo a presença das autoridades em trânsito e visíveis; previnem não caçam.

    • Eu também acho que só multas não resolve já que o excesso de velocidade mata ou assassina muinta gente e aí só a multa não resolve

  7. Aprendi na escola de condução que nunca o excesso de velocidade é causador de acidentes, mas sim a velocidade excessiva, algo bem diferente, só que este conceito não é passível de coima, porque não é quantificável, por isso é que há uma insistência no conceito de excesso.

    • Falta alguns pagamentos burrice do condutor ter a mania é mais esperto depois os outros é estão sempre mal em 40 anos condução nunca apanhei uma multa e não sou nenhum Santo aja pachora tentem cumprir o mínimo e não serão multados

  8. So sei que os radarws e so para queles que compreem devia era se fazer um levantamento das velocidades das vias porque nao copreendo em estradas como a ic 19 ou mesmo a 2 circular na zona de lisboa ter trajetos com velocidades quase iguas ou menores que na marginal de cascais para lisboa so tenho uma duvida sera por morarem gente abastada de dinheiro. E outra deviam sim de andar a ver os condutores mas que nao compreem as regras andam ao tlm ou fazem inversoes de marcha em tracos continuos fora o resto k posso enumerar aqui porque a muitas mas isto tem de partir de cima porque ansr so quer e lucrar com quem anda a trabalhar no dia a dia

  9. A 41 – CREP – Circular Regional Exterior do Porto é oficialmente uma autoestrada portuguesa que circunda a região do Grande Porto, contribuindo para descongestionar a Via de Cintura Interna e facilitando as ligações entre o sul e o leste da região.
    Como tem meia dúzia de quilómetros e começa no distrito de Aveiro!!!!!!

  10. O único objectivo na instalação do novo sinal de trânsito H42 nas estradas em Portugal deveria ser avisar os condutores que estão a entrar numa zona demarcada, em que é infraccional o excesso da velocidade média entre dois pontos. Para isso, obrigatoriamente, têm que estar instalados 2 radares nos segmentos de recta em causa, para controlo dos infractores. A ANSR [que teimosamente continua obcecada em julgar que a única forma de combater os acidentes em Portugal é através do aumento exageradíssimo das coimas e sanções acessórias (não compatíveis com o baixo nível de vida…) que sistematicamente se comprova não terem resultados dissuasores, apenas engrossando os cofres do Estado com as coimas aplicadas, fraudulentamente faz desaparecer “milagrosamente” os radares , mas mantém os sinais, mentindo de forma grave…

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here