Cinema do Agapito é um supermercado

2
649

O negócio está primeiro e só depois virá a cultura. É o que atesta claramente o supermercado do Pingo Doce na Rua da Graça, em Lisboa, que devorou o antigo Royal Cine. Toca a comer melões, sentados em casa no sofá de olhos colados na TV!

O atual supermercado era uma bela sala de cinema com 900 lugares, mandado construir por Agapito Serra Fernandes um galego da alimentação e restauração. Agora pertence à quinta maior empresa importadora portuguesa, que não exporta nada. Ao contrário da auto europa que é o quarto maior importador e ao mesmo tempo o maior exportador nacional.

O Royal Cine foi inaugurado em 1929 no local onde onde existiu o ascensor da Graça. Essa ideia já foi má. Mas pior foi quando o cinema fechou em 1976 para mais tarde se ser esventrado para se tornar num supermercado. Sobrou a fachada e pouco mais.

Agapito Serra Fernandes já tinha construído o bairro operário Estrela Vermelha, que felizmente não foi transformado num vulgar hotel.
O galego seria maçom e por isso espalhou estrelas vermelhas por todo o Bairro da Graça.
E pôs duas colunas gigantes à entrada do Royal Cine com o riso e o choro. Ou seja o Sol e a Lua. Agapito Serra Fernandes gabou-se de ser o primeiro a projectar “As Sombras Brancas nos Mares do Sul”, um filme de som síncrono de W. S. Van Dyck, em 1930.

Onde estava o Royal Cine e onde poderíamos ter cultura… vendem-se agora melões do Chile, papaia do Brasil, ameijoas do Vietname.

2 comments

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here