Escritor morto no lançamento do seu livro

0
279

Aconteceu no mundo de Germano Almeida: um escritor foi assassinado no dia em que ia lançar o seu próprio livro.
Por norma acontece depois. Quando os livros são ignorados nas prateleiras das livrarias.

A ‘Confissão e a Culpa’ é o romance mais recente do cabo-verdiano Germano de Almeida. Que assim termina uma trilogia iniciada com o ‘Fiel Defunto’ e continuada com ‘Último Mugido’. 

O livro mais emblemático de Germano Almeida foi o primeiro: ‘O Testamento do Sr. Napumoceno da Silva Araújo’. Estávamos no ano de 1989.

A partir de então nasceram 18 obras, cheias do encanto e da ternura de Cabo Verde. Há quem diga que escrever numa ilha é diferente. Afirmou Vitorino Nemésio, quando escreveu ‘Mau Tempo no Canal’.
Que muitos disseram ser um ‘remake’ de “A Peste” de Albert Camus.

Também aqui nesta trilogia de Germano Almeida alguém sente o dedo de Gabriel Garcia Marquez, com “História de uma Morte Anunciada”.

Mas não é verdade. Porque esta trilogia tem caminhos diferentes. É fabulosa . Escrita em ilhas de sonho. Cabo Verde. Por Germano Almeida, Prémio Camões. Autor com o chancela Leya. E leia mesmo, porque a prosa de Germano é de primeira água.

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here