Inês, a agricultora

1
346
colagem fotográfica

Flagelada pelas críticas, Inês Sousa Real diz em tom de lamento que “em política não vale, ou não devia valer tudo”, mas ela sabe que não é assim. O primeiro tiro veio de um dirigente da CAP, Luís Mira. Disse o homem que a deputada do PAN vive em contradição com a ideologia, proprietária de duas empresas agrícolas que praticam agricultura intensiva em estufa.

Inês chamou o tipo de mentiroso. Não são estufas, são túneis. Mas são de plástico e confundem-se com estufas, Inês. E em política, as aparências iludem.

Mentiroso ou não, Luís Mira veio a terreiro denegrir uma colega, o que talvez não seja ético. Afinal, ambos são agricultores. Mas um usa pesticidas sem remorso e ela evita-os.

Na verdade, a opinião pública não sabia desta costela de agricultora da líder do PAN. A maioria das pessoas julgaria que ela apenas tinha um cachorrinho de estimação e que vivia num terceiro andar das avenidas novas, em Lisboa. Mas, afinal, é uma mulher do campo. E nunca escondeu que era, mas ninguém vai ver a declaração de interesses dos deputados que está disponível no site da Assembleia da República. Lá constam as tais duas empresas com que Inês e o marido arredondam o rendimento familiar.

Mas a mentira pega com facilidade, como sabemos. E quando é uma mentira de ódio ideológico, pega e nunca mais descola. A coisa é repetida até à exaustão, sem dó nem piedade, até mesmo por aqueles que, aparentemente, não lucram nada com isso. Alguns políticos falhados que ganham a vida a fazer comentário político funcionam como repetidores de mensagens. E cumprem a função, com as “armas” disponíveis.

A agricultora Inês e a veraneante Joana, possivelmente ambas em Odemira

Quando uma adversária como Joana Amaral Dias entra na liça, percebemos como vai ser difícil Inês conseguir apagar esta nódoa que lhe colaram à pele. É que não importa o que se diz, importa como se diz. E a boa da Joana é eficaz. Já a Inês não se livra de um certo ar de sonsa. Life is a bitch, indeed.

1 comment

  1. O PAN vai agora desaparecer à conta tb desta Inês que devia estar na estufa e não na direção deste partido.

    É um detalhe esta questão das estufas serem fechadas ou em túnel. Inês Sousa Real devia sair de imediato partido. É uma pena que um partido construído de uma forma tão difícil e engenhosa esteja preso em questões de estufas. Um pormenor, apenas um pormenor, é suficiente para instalar uma dúvida gigantesca em matéria tão melindrosa. Dona Inês saia e vá trabalhar para a estufa, porque confusões destas e muito piores estão a empurrar o país.

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here