O edifício mais estúpido de Lisboa

O edifício mais estúpido de Lisboa está a meio da Avenida da República. Fernando Medina não perdeu as eleições por causa dele. Mas o mamarracho ajuda à má imagem da cidade.

1
1186

Existem centenas de prédios em ruínas ou abandonados na capital. E a Câmara Municipal raramente deita mão a obras coercivas para limpar a cidade destes escombros.

Há um privilégio da propriedade privada sobre a utilidade dos edifícios. Compram-se prédios como investimento. Abrem-se as janelas e tiram-se as telhas. E esses cacos valorizam mais que o dinheiro depositado num banco.

Os sucessivos presidentes de Câmara de Lisboa têm desprezado a sensatez dos 550 mil lisboetas. As pessoas não querem estar numa cidade miserável. De que serve ter um condomínio de luxo ao lado de prédios em ruínas? Cheios de ratazanas e em risco de cair sobre os transeuntes?

Aquela fachada na Avenida da República é, há anos, um colossal monumento à estupidez, talvez seja um hino à especulação imobiliária. Pode ser, ainda, um exemplo da burocracia camarária que, segundo dizem as más línguas, propicia a corrupção pelos gabinetes da edilidade. Há gente que espera anos por uma licença para obras. Bom, seja qual for a razão, o espaço está por aproveitar. A armação em viga de ferro em H custou uma fortuna, mas a obra não se faz. Há quanto tempo é que aquilo está ali? 15 anos?

Quanto tempo mais ficará aquela porcaria assim?

1 COMENTÁRIO

  1. Está assim desde junho de 2009:
    https://www.google.com/maps/@38.7407603,-9.1467906,3a,75y,294.63h,81.08t/data=!3m7!1e1!3m5!1sDBUOK6KRIK3YbDa24UyVsA!2e0!5s20090601T000000!7i13312!8i6656?entry=ttu
    Não se percebe porque é que foi demolido. Há edifícios em Lisboa bem mais podres que ainda estão de pé, pelo menos as paredes exteriores. Houve interesse em demolir para vender o terreno. Preservou-se a fachada talvez por alguém ter achado que poderia ter interesse para a prática arquitectónica de fachadismo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui