Escoteiros da Ajuda em risco de despejo

0
1193

A Câmara Municipal de Lisboa pretende demolir o edifício onde funciona o grupo de escoteiros da Ajuda. Os escoteiros estão ali desde 1956 e não têm alternativa para a sede, local onde desenvolvem atividades que ocupam os tempos livres de muitos jovens.

“A nossa ação não se limita ao âmbito escotista, sendo a nossa sede utilizada diariamente pela comunidade da Escola Voz do Operário com a qual desenvolvemos um protocolo de utilização do espaço para recreio e eventos e que será também afetada pela demolição do espaço prevista”, diz o texto que serve de apresentação a uma petição online com a qual se pretende sensibilizar a CML a voltar atrás na decisão de demolir o edifício ou, em alternativa, encontrar uma outra sede para este agrupamento de escoteiros.

O prejuízo aumenta quando o edifício dos escoteiros da Ajuda “tem sido alvo de recorrentes e dispendiosos melhoramentos e manutenções assumidos na sua esmagadora maioria pelo grupo através das suas quotizações e angariações de fundos para o efeito, que garantem que o espaço se encontra em condições para a sua regular utilização”, diz o texto da petição.
Os escoteiros da Ajuda dizem entender a necessidade de reestruturar e modernizar a freguesia, mas dizem que “a requalificação urbana não pode ser feita obliterando a comunidade que está enraizada no local.”

Demolir a sede dos escoteiros sem lhes apresentar uma solução de alojamento não parece bem a ninguém. Trata-se de um ato que, em concreto, resulta num despejo de uma instituição que acolhe atualmente mais de 80 jovens que semanalmente ali realizam as suas atividades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui