A nossa Joana d’Arc, mulher sem medo

Ninguém sabe o valor do cheque da transferência de Joana Amaral Dias da CMTV para a TVI. Mas o resultado é uma grande bomba, em todos os sentidos.

0
4396

Joana Amaral Dias foi deputada bloquista e feminista. Agora é uma comentadora mais temível que Marcelo Rebelo de Sousa. Marcelo sujeitou-se a migrar para a RTP, quando o PSD se queixou ao conde da TVI. Os anos passaram e Marcelo regressou. Fartou-se de falar de tudo para ser Presidente.

Mas Joana é mais refinada. Fala de futebol, mas dos escândalos. Fala das coisas para ripar quem anda a tramar o País. No debate de ontem era escutada com muita atenção por Rogério Alves, ex-bastonário da Ordem dos Advogados. Um homem desassombrado, perito em oratória.

Confesso que me encanta Joana Amaral Dias, porque não faz concessões a crápulas. Sai ao pai, o psiquiatra Carlos Amaral Dias, que faleceu recentemente em casa, à espera de ambulância, a 10 minutos do Hospital de S. José. Todos nos lembramos como ele falava sem-papas-na-língua na TSF.

Mas Joana é mais feroz, porque fala grosso e publica as fotos das suas coleções de bikinis, no Instagram. Foi capa de revista, grávida e nua. E consegue dizer um grande tratado em dois minutos. Usando uma linha principal (first plot) e metendo ao mesmo tempo quatro sub-plots. Sem desviar o tiro da mouche.

Joana usa as parábolas, como os evangelhos. E crava fundo as palavras. Sem medos, sem compromissos, sem precauções. Utiliza a linguagem corporal, com mestria. Vai ao pormenor da cor e dos recortes dos vestidos.

Joana Amaral Dias está a anular o fogacho demagógico André Ventura. A grande velocidade. Porque assume a defesa dos fracos, do Serviço Nacional de Saúde, do serviço público de educação, do sistema de pensões. E propõe o fim da especulação imobiliária e das offshores. Pede a tributação das grandes empresas, fortunas e fundos comilões.

Não faz restolho com racismo ou com questões étnicas. Que é o combustível de André Ventura. Não foi consultora, nem é financiada por um grupo tentacular já revelado em dezenas de páginas da Imprensa.

Escândalos só os bikinis. Mas a isso ninguém liga. Desde o tempo do primeiro-ministro Sá Carneiro e Snu Abecassis. Felizes de amores um pelo outro.

Agora Joana tem tribuna na TVI, qual Marcelo. Precisa de ser previdente. Não deve viajar em aviões pequenos. Ou meter-se em barcos de dois decks. Nem pode ir sempre pelos mesmos caminhos. Ou ter horas rotinadas. Deve de estar atenta ao carro de trás. O seguro morreu de velho. E nós queremos ver o que a bomba vai estilhaçar.

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here