Covid-19: pandemia aumenta, mulher morre depois de ser vacinada

0
2170

Lá vamos nós outra vez. Tudo indica que a pandemia está a recrudescer. Hoje há registo de mais 90 mortes relacionadas com a covid-19 e 4.956 novos casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

O boletim epidemiológico da DGS indica ainda que estão internadas 3.260 pessoas, mais 89 do que ontem e das quais 512 em cuidados intensivos, ou seja, mais duas. Desde o início da pandemia, Portugal já registou 7.286 mortes.

O aumento do número de casos de contágio está a stressar os hospitais, onde neste momento cerca de 70% a 90% da capacidade de internamentos estão ocupados com doentes covid.

Nova variante ainda em estudo

Neste momento existem 417 surtos ativos, dividindo-se entre 55 na região Norte, 25 na região Centro, 284 em Lisboa e Vale do Tejo, 29 no Alentejo e 24 no Algarve. A grande maioria dos surtos localizam-se “em estruturas residenciais para idosos” e alguns em “instituições de saúde”, havendo “menos em escolas”, segundo informações prestadas hoje por Graça Freitas, diretora geral da DGS.

Mas as escolas podem vir a ser um problema sério, por causa da disseminação da nova variante do Sars-CoV-2 que é mais contagioso  e que afeta mais os jovens. Graça Freitas disse que as características da nova variante ainda estão a ser estudadas e, portanto, carecem de confirmação, mas “pode haver uma estratégia diferente” para as escolas caso se prove que seja necessário. “Temos sempre de conjugar as duas coisas, a transmissão, ou seja, mais casos, e a gravidade dos mesmos. Como disse há pouco, não há indícios de que esta variante seja mais agressiva”, disse.

Morreu depois de ser vacinada

A vacinação em curso já abrangeu 32 mil pessoas no país, disse ainda Graça Freitas.  No entanto, a diretora-geral da Saúde alertou que tal não significa que se deva baixar a guarda, até porque nem todas as pessoas “vão ficar imunizadas” porque a vacina não é 100% eficaz e ainda não há imunidade de grupo. Além do mais, estas 32 mil pessoas ainda só tomaram a 1ª das duas doses da vacina.

Sobre o falecimento da funcionária do IPO do Porto que morreu após receber a vacina da covid-19, Graça Freitas disse que o caso está “em investigação”, sugerindo que “há fenómenos que podem estar temporalmente relacionados, mas não quer dizer que um seja por causa do outro”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui