Televisões boicotam Tino de Rans

0
787

transcrição da crónica:

RTP, SIC e TVI decidiram não convidar Vitorino Silva, mais conhecido por Tino de Rans, para os frente-a-frente com os outros candidatos à Presidência da República, apesar de todos eles já terem afirmado que aceitam o debate com Tino de Rans.

A razão para a exclusão de Tino é completamente estúpida. Não é apoiado por nenhum partido com assento parlamentar. É um critério estúpido por várias razões, a primeira das quais é que a eleição para a Presidência da República é uma eleição nominal e os candidatos apresentam-se em nome próprio. Podem ser ou não militantes de algum partido político, mas não o representam nesta eleição.

Em segundo lugar, todos os candidatos que cumpriram os requesitos legais e cujos processos foram reconhecidos como válidos pelo Tribunal Constitucional não deviam ser tratados de forma diferente por canais de televisão. Até porque ninguém garante que todos os outros, os tais que têm apoios de partidos com assento parlamentar, tenham os processos ben instruídos… quem garante, por exemplo, que o candidato Ventura não voltou a entregar  2600 assinaturas falsas, de menores de idade ou de pessoas falecidas…? Já o fez uma vez, pode voltar a fazê-lo, não me parece que neste momento seja possível garantir que não o fez, ele ou outro qualquer… o Tribunal Constitucional deve estar ainda a verificar os processos… aliás, creio que há ainda um procedimento legal em curso para verificar a legalização do Chega e, portanto, enquanto esse processo não for concluído, todas as suspeitas são legítimas…

Mas, passando à frente… A RTP, a SIC e a TVI não decidiram bem, ao excluir o candidato Tino de Rans. Ele é um tipo bastante popular, diz coisas que os outros nunca dirão, talvez não fale com perfeita correção gramatical, mas não é nenhum aldrabão. No final, as pessoas até podem não votar nele, mas gostam dele e gostam de o ouvir, creio eu… e nas últimas eleições presidenciais não ficou muito longe do candidato nomeado pelo Partido Comunista. Ou seja, nem mesmo pelo critério da audiência, os canais de televisão generalistas agiram bem… eu tenho a certeza que o Tino traz mais audiência do que o Tiago Mayan, por exemplo.

Por fim, deixem-me dizer só mais isto… duvido que a decisão de excluir um qualquer candidato de debates eleitorais tenha cobertura legal. Os canais de televisão generalistas têm contratos com o Estado. A RTP tem um contrato de serviço público, a TVI e a SIC têm contratos de concessão para a utilização do espectro radioelétrico, que é um bem público. Ou seja, não seria suposto que nenhuma destas empresas pudessem fazer o que lhes dá na real gana, no que diz respeito a candidaturas eleitorais e à cobertura de campanhas eleitorais. Não conheço nada na Lei que permita dizer que há candidatos mais importantes que outros. E o critério jornalístico não se aplica nesta fase da organização dos frente-a-frente entre candidatos.

No final desta história, se a RTP, a SIC e a TVI não voltarem atrás, quem fica a ganhar é o Porto canal que já marcou frente-a-frentes de Tino de Rans com Marisa Matias e Marcelo Rebelo de Sousa e tem todos os outros disponíveis para debater com Vitorino Silva.

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here