Há um problema no nosso país

0
531

Ontem, dia 16 de Novembro de 2020, o povo português assistiu ao pior que pode acontecer, um canal de televisão dar espaço para o maior aldrabão político dos últimos tempos, além de ser aldrabão é também racista, xenófobo, homofóbico…

A entrevista com o Miguel Sousa Tavares só teve um sentido, propaganda do fascista e racista, porque numa entrevista que era para falar de eleições presidenciais, falou-se de propostas para as legislativas e dos “namoros” políticos com Rui Rio.

Um candidato a Presidente da República que tem como alvo a promoção do ódio a uma comunidade viola os valores do Estado democrático, incita ao ódio, é demoníaco. Como pode um candidato a Presidente da República ter como estratégia o ódio?!

As mentiras, a diabolização, as generalizações às comunidades ciganas foram patentes, as “trivelas de Quaresma” devem-no ter deixado atordoado mas também ressabiado. Não pode ter perdão a falta de respeito por um povo que, apesar de não ser perfeito, está em território português há cerca de 6 séculos, onde tem sido um dos povos mais discriminados e perseguidos pelo aparelho de Estado português. A história de Portugal omite, mas basta fazer uma pesquisa rápida para perceber as tentativas de aniquilação dos ciganos desde a Monarquia até à República. Os ciganos foram sentenciados ao nomadismo forçado. Mesmo depois do 25 de abril, convém não esquecer que  a GNR continuou numa severa vigilância aos ciganos, muitas vezes injusta e sempre preconceituosa.

O comportamento de alguns ciganos não representa a comunidade cigana nem a cultura cigana. Quando o” filho da pide” diz que o sentimento dele é o de milhões de portugueses, percebe-se a manipulação e o falhanço do ensino da matemática nas escolas portuguesas. Fazer contas também é um problema do “filho da pide”, quando questionado sobre as taxas de IRS não conseguiu enumerar nada, limitou-se a fugir das questões sem dar respostas.

Rui Rio, com a aliança parlamentar nos Açores, acabou por aumentar o palco ao dito cujo, onde agora o espetáculo é o discurso bipolar, um dia acorda a criticar o Salazar, é a favor dos casamentos gays, depois volta a colocar na estante os livros do Salazar e diz que não disse o que disse. Igualzinho ao Trump, salvaguardando todas as distâncias.

A pergunta que eu deixo é se os apoiantes e simpatizantes do Chega querem mesmo algum dia um homem destes a governar o país?! Um bipolar que inevitavelmente se transforma num mentiroso compulsivo. O nosso país apesar de muitos defeitos não pode jamais adormecer com a cantilena fascista e racista.

Há responsáveis pelo surgimento deste artista? Há! O Tribunal Constitucional deixou passar um processo com milhares de assinaturas falsas. Os juizes aceitaram as justificações mais esfarrapadas e fecharam os olhos. Agora temos um problema no nosso país, não podemos negar: são os fascistas e os racistas!

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here