Covid-19: três concelhos em confinamento

0
3124

Portugal regista hoje 3.274 novos casos de infeção com o novo coronavírus, o valor diário mais elevado desde o início da pandemia, e mais 16 mortes relacionadas com a covid-19, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde.

Números que foram analisados hoje na reunião do Conselho de Ministros e que motivaram a tomada de novas medidas para se tentar conter a expansão da pandemia.

Assim, há três concelhos “fechados” já a partir de amanhã, 23 de outubro, que são os concelhos de Felgueiras, Lousada e Paços de Ferreira. Trata-se de uma decisão do Conselho de Ministros, face ao desvario da pandemia naqueles territórios. O conjunto de medidas especiais decretadas pelo Governo abarca o encerramento de todo o comércio às 22 horas e a proibição de todas as atividades que obriguem à presença no mesmo espaço de mais de cinco pessoas.

Em conferência de imprensa após o Conselho de Ministros, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, explicou que as populações dos três concelhos têm o “dever de permanência domiciliária, com exceção de um conjunto de atividades consideradas urgentes como, por exemplo, ir ao médico.

Mariana vieira da silva disse que nenhuma regra será bem sucedida se as pessoas não decidirem agir com bom senso e respeito pelos outros, se não souberem escolher quais são verdadeiramente as atividades que terão de exercer imprescindivelmente e as outras que podem ser adiadas durante algum tempo. A governante disse ser essencial que as pessoas respeitem o distanciamento físico, o limite de ajuntamentos com cinco pessoas, o uso de máscara sempre que não seja possível manter o distanciamento, seja nos transportes públicos, nos locais de trabalho ou, mesmo, na via pública.

No resto do país, a circulação entre concelhos do continente está proibida entre os dias 30 de outubro e 03 de novembro, ou seja, durante o fim de semana correspondente ao Dia de Finados. “Cada cidadão não pode circular entre concelhos, como aconteceu no passado”, revelou a ministra Mariana Vieira da Silva, explicando que a medida entra em vigor entre as 00:00 de 30 de outubro até dia 3 de novembro. Os cemitérios vão permenecer abertos, embora a decisão de fechar cemitérios ou de limitar o acesso a eles seja uma competência autárquica.

Uma semana depois do Governo ter decretado o estado de calamidade, a pandemia continua a agravar-se. A ministra da Saúde defendeu que o SNS está hoje melhor preparado para enfrentar a pandemia e que, ainda assim, o Governo já abriu concurso para novas admissões de dezenas de médicos intensivistas para trabalharem nas unidades de cuidados intensivos dos diferentes hospitais do sistema nacional de saúde.

Todos os indicadores estão a subir, embora os 3.270 novos casos de infeção (mais as 16 mortes) sejam o dado mais preocupante, uma vez que uma percentagem desses novos casos irão parar aos internamentos hospitalares e cerca de 2% a 4% vão morrer (conforme rezam as estatísticas).

Os internamentos hospitalares já atingiram os valores máximos registados desde março, num total de 1.365, mais 93 pessoas internadas do que na quarta-feira. Nos cuidados intensivos estão internados 200 doentes, mais 13 do que na quarta-feira. O máximo de internamentos em Unidades de Cuidados Intensivos foi registado em 7 de abril, dia em que 217 pessoas estavam nestas unidades com covid-19.

A região de Lisboa e Vale do Tejo surge em segundo lugar no mapa de Portugal de novos casos diários, tendo sido notificados nas últimas 24 horas 936 (28,6%) novos casos de infeção, a grande maioria dos novos casos de infeção ocorreram na região Norte, ao registar hoje mais 1.954 infeções de covid-19 (59,7%).

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here