Possacos, aldeia velha

0
1163

Fazer férias em Portugal não é só concordar com os apelos para ajudar o turismo nacional. É conhecer os lugares e os recantos, as gentes e as paisagens do país onde vivemos.

Este ano fui desde Sintra até Possacos, uma pequena aldeia de Valpaços. Fui matar saudades das vinhas a perder de vista, dos velhos e das velhas de caras enrugadas e mãos grossas, de olhar longínquo.

Em Possacos quase só há velhos. Uso a palavra com todo o respeito. Velho é quem sabe mais do que os outros, é quem viveu um tempo que nós nem sonhamos que existiu. Velho é quem nos pode ensinar alguma coisa sobre a vida. Só têm a 4ªclasse mas sabem tudo sobre a terra, o cultivo, só de olhar sabem quando vai chover e quando a ovelha vai parir. Também gostava de chegar a velho.

A revitalização do Interior parece esconder-se à medida que se caminha por entre as ruas apertadas de uma aldeia quase deserta. A estatística oficial diz que a aldeia tem 446 habitantes mas nem no verão são assim tantos.

fotografia de Rafael Baptista

Noutros tempos, Possacos era um sítio relativamente importante. Os vestígios históricos e até pré-históricos falam de uma presença humana permanente desde há milénios. A aldeia fica numa das curvas do rio Rabaçal e foi local escolhido por fidalgos e outros patrões para ali terem casa, terras e gente que trabalhasse para eles.  

Hoje já sobra pouco da riqueza de outrora. Ainda assim, somando todos os esforços das pessoas que vivem espalhadas por aqueles montes, a produção de azeite, vinho e castanha não é de desprezar. Ainda é o que segura algumas pessoas à terra ou já teriam abalado todos à procura de vida noutras paragens.

Os que foram, voltam de férias quase todos os anos. Este ano foi um pouco diferente, como sabemos. Vieram menos, mas ainda assim era fácil ouvir os miúdos a falar francês pelas vielas da aldeia. A maioria jamais regressará definitivamente, Possacos tem pouco para oferecer em termos económicos. E paz de espírito ainda não é coisa a que se dê valor monetário.

(texto de Carlos Narciso/Rafael Baptista)

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here