Covid-19: seis mortes e muito lixo

0
356

No sobe-e-desce dos números da pandemia, hoje foi dia de voltarem a subir. O boletim diário da Direção Geral de Saúde refere que nas últimas 24 horas registaram-se seis mortes e 688 novos casos de infeção por covid-19.

De acordo com o documento, há 661 pessoas internadas, mais duas do que ontem. Nos cuidados intensivos está mais uma pessoa, num total de 99.

A DGS indica que das seis mortes registadas, cinco ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, e foi também aqui que se registaram a maioria dos novos casos,  em rigor 478, o que representa quase 70 por cento do total de casos registados.

Muito lixo

O uso generalizado das máscaras descartáveis está a causar um enorme problema devido à produção de lixo. Cientistas da Universidade de Aveiro vieram hoje dizer que  “é urgente encontrar alternativas ao uso de máscaras e luvas descartáveis”.

Se numa primeira fase da pandemia o confinamento trouxe ganhos para o meio ambiente, com a redução da poluição atmosférica, numa segunda fase a quantidade de plásticos não reutilizáveis, entre máscaras, luvas e outros materiais de proteção, que foi preciso passar a usar para prevenir o contágio pelo coronavírus, “aumentou exponencialmente à medida do aumento de casos”.

“O descarte correto das máscaras e luvas descartáveis foi negligenciado e estes resíduos passaram a ser encontrados nas ruas e passeios”, diz a investigadora Joana Prata.

Para contornar o problema ambiental, os cientistas dizem que é urgente encontrar alternativas sustentáveis para as máscaras, luvas e plásticos de utilização única.

Defendem, desde já, que, “dentro do possível, esses materiais sejam reciclados depois da sua desinfeção ou quarentena, que se use preferencialmente máscaras feitas com materiais reutilizáveis e que se regresse ao caminho da economia circular que estava a ser traçado para os materiais plásticos antes de surgir a pandemia”.

A pandemia trouxe alterações na utilização do plástico, com aumento de consumo de plásticos em embalagens alimentares, como de take-away e no material de proteção pessoal. Os cientistas recomendam que o uso dos plásticos “seja feito de uma forma ponderada e responsável” e que seja otimizada a produção, substituindo o descartável pelo reutilizável.

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here