A derrocada no Metropolitano (fotografias dos bombeiros)

0
1159

A circulação de comboios do Metropolitano de Lisboa continua interrompida no troço onde se verificou um desabamento provocado por obras à superfície, na Praça de Espanha.

A linha azul do Metropolitano está cortada nos troços Reboleira-Laranjeiras e Marquês de Pombal-Santa Apolónia.

Em conferência de imprensa hoje de manhã na Praça de Espanha, Vítor Domingues dos Santos, administrador do Metropolitano de Lisboa,  disse que está a aguardar aprovação do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) para que os trabalhos de reparação prossigam.

“Os trabalhos já se iniciaram, toda a limpeza foi efetuada, o comboio retirado e o buraco que tínhamos ontem já está tapado por baixo com cofragem.” O presidente do conselho de administração indicou que terá mais notícias a meio da tarde de hoje, após o desenvolvimento das operações do LNEC e a execução de trabalhos preliminares. “Não me quero comprometer com prazos, temos de olhar bem ao que se vai fazer. Estamos a trabalhar em pleno. Espero hoje à tarde definir um prazo com mais certeza do que agora”, referiu.

O transtorno para os utentes é uma das consequências deste acidente que, recorde-se, provocou apenas 4 feridos ligeiros. Foi uma sorte, se atendermos ao facto de que quando se verificou a derrocada passava no local um comboio com centenas de passageiros no interior.

Os passageiros estão a ser transportados numa articulação entre o Metro e a rodoviária Carris, através de um reforço das carreiras 746 e 726.

As fotografias que exibimos foram feitas por um elemento das equipas de socorro do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa e dos Bombeiros Voluntários de Campo de Ourique, que transportaram os feridos para o hospital e tiraram os restantes passageiros do interior do comboio.

As fotografias estão publicadas na página dos Bombeiros Voluntários de Campo de Ourique.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui