O amor não mede esforços nem distâncias

0
961

O texto, escrito pelo próprio, diz assim: “A Bola não é só Bola! O mundo da corrida uniu esforços e conseguiu 18 toneladas de alimentos. Quero agradecer ao Jornal A BOLA pela divulgação do nosso movimento. Quero agradecer a todos os que participaram, na criação de eventos pelo país, os que fizeram uma doação, os que fizeram quilómetros e acima de tudo, a todas as instituições e famílias que permitiram que pudéssemos pedir por eles. Obrigado.”

Quem falou assim foi o atleta Hélio Fumo e, depois de agradecer a todos, “esqueceu-se” de agradecer a si mesmo. Sim, porque foi ele o autor da ideia de correr no Campo Grande, em Lisboa, durante 12 horas para angariar alimentos para pessoas afetadas pela pandemia covid-19.

Doze horas a correr não é para todos. Hélio Fumo correu todas essas horas e fez 100 quilómetros nesse tempo. Esteve quase a desistir, mas aguentou. No final, ainda teve de “carregar” 18 toneladas de bens alimentares que foram distribuídos por 79 instituições e 89 famílias.

O atleta Hélio Fumo chamou à iniciativa “Alimenta esta Corrida”, o evento aconteceu já há uns dias, mas como não deu nas televisões a maioria não sabe que aconteceu. Quem sabe são os seus companheiros, às vezes adversários, de corridas, sabem os que se solidarizaram com ele, sabem os que receberam a ajuda angariada e sabem alguns leitores do jornal A Bola que leram a prosa que cita o atleta quando ele diz “Não consigo explicar o sucesso do ‘Alimenta esta Corrida’, mas adorava poder repetir, até porque o próprio Banco Alimentar já disse que os casos de necessidade triplicaram.”

Os que acabaram de ler este texto no Duas Linhas também já sabem.

Obrigado Hélio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui