Covid-19: Sintra é onde a epidemia mais se propaga

0
6362

As autoridades sanitárias vão diminuir a realização de testes de despiste do covid-19. Segundo informou a ministra da Saúde, o número de testes realizados aproxima-se do milhão, neste momento já foram feitos mais de 900 mil testes e a aceleração que foi feita no mês de maio vai agora ser reduzida.

Marta Temido sublinha que após semanas “muito intensas de rastreio generalizado” a determinadas atividades e grupos profissionais, que permitiram detetar a concentração de casos, o “foco vai agora deslocar-se para outra área”.

“Parece-nos que devemos agora transitar para um trabalho mais focado em casos concretos sintomáticos”, afirmou a ministra da Saúde, que destacou a importância da metodologia “intensiva de rastreio” entretanto seguida.

Marta Temido deu como exemplo que dos 255 novos casos detetados na região de Lisboa e Vale do Tejo nas últimas 24 horas, 101 foram identificados na sequência dos 14 mil testes feitos nas duas últimas semanas, por serem casos assintomáticos.

As atenções continuam centradas na Área Metropolitana de Lisboa onde, em alguns municípios, os índices de contágio são muito altos.

Dos 342 novos casos de infeção no país registados no boletim da Direção-Geral da Saúde de hoje, 255 são na região de Lisboa e vale do Tejo e, desses, 80% concentra-se em cinco concelhos, a saber: Sintra (158 casos em 4 dias), Lisboa, Amadora, Loures e Odivelas.

Em números totais, os cinco municípios mais afetados a nível nacional são:

  1. Lisboa 2614
  2. Vila Nova de Gaia 1592
  3. Sintra 1558
  4. Porto 1414
  5. Matosinhos 1292

As autoridades sanitárias acreditam que não vamos ficar livres do covid-19 tão depressa quanto gostaríamos e a ministra da Saúde anunciou que está a ser constituída uma reserva de equipamentos para garantir a continuação do combate à pandemia.

Amanhã, segunda-feira, chegará “mais um voo” com “cerca de 20” ventiladores, acrescentou. No total, Portugal comprou 1.151 ventiladores, dos quais 717 já estão em território nacional ou em trânsito nas embaixadas e 434 estão por entregar.

A ministra aproveitou para atualizar os números relacionados com os equipamentos distribuídos desde o início da pandemia: 57 milhões de máscaras cirúrgicas e 11 milhões de máscaras FFP2 e FFP3.

“Estamos a preparar uma nova reserva estratégica”, frisou Marta Temido, reiterando que Portugal “não pode baixar a preparação para a doença”, que passa por três fatores: equipamentos de proteção individual, rede de referenciação em medicina intensiva, “que está a ser revista”, e capacidade laboratorial.

Portugal contabiliza pelo menos 1.479 mortos associados à covid-19 em 34.693 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado hoje.

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here