Covid-19: “milagre” português era mentira

0
1342

Três mortes e mais 457 infetados, é o saldo pandémico das últimas 24 horas.

Dos novos infetados, mais de 85% vivem e trabalham num dos municípios da região de Lisboa e Vale do Tejo.

Por municípios, os quatro mais infetados são da Área Metropolitana de Lisboa, Vila Nova de Gaia foi ultrapassada em grande velocidade pela Amadora.

O top-5 está assim estabelecido:

  1. Lisboa 3423 (+76)
  2. Sintra 2564 (+65)
  3. Loures 1791 (+35)
  4. Amadora 1645 (+44)
  5. V.N.Gaia 1640 (+6)
quadro publicado no site da Direção Geral de Saúde

Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos, diz que “houve um excesso de otimismo e uma incapacidade de antecipar as medidas preventivas necessárias em função da evolução da pandemia”.

O “milagre português” está, assim, à beira do fracasso e é bem possível que governo, Presidente da República e Direção Geral de Saúde tenham “pecado” pela soberba.

Oremos

Perante o problema ainda insolúvel, o Cardeal Patriarca de Lisboa rezou missa pelas vítimas da pandemia.

Na Capela do Rato, Dom Manuel Clemente rezou por todos aqueles que “faleceram na solidão, longe dos seus familiares” e pelas famílias em luto.

De acordo com a agência Ecclesia, a missa foi transmitida online, certamente para evitar concentração de fiéis num local pouco amplo, como é a Capela do Rato.

Vírus mau à casa volta

Na China, onde tudo começou, parece que tudo está a voltar ao início, embora agora as autoridades sanitárias chinesas estejam mais reativas que no final de 2019 quando surgiu a pandemia.

O governo chinês decretou hoje o confinamento de cerca de um milhão e meio de pessoas numa zona próxima da capital, Pequim, atingida por um novo surto de infeções de covid-19, que as autoridades descrevem com “sério e complexo”.

O país tinha conseguido conter a evolução dos contágios pelo novo coronavírus, mas a deteção de mais de 300 novos casos numa cidade em pouco mais de duas semanas alimentou receios de uma segunda vaga de contaminações.

Este novo surto teve origem em Pequim, mas alastrou para Anxin, a cerca de 60 quilómetros a sul da capital, na província de Hebei.

Trata-se de um confinamento compulsivo e rigoroso, apenas uma pessoa por família poderá sair uma vez por dia para comprar alimentos ou medicamentos.

Em Pequim, as autoridades lançaram uma vasta campanha de testes, encerraram escolas, pediram aos habitantes que fiquem na cidade, evitando deslocações para fora da capital, e confinaram vários milhares de pessoas em áreas residenciais consideradas de maior risco de contágio.

Na China também não há milagres.

Leave a reply

Please enter your comment!
Please enter your name here